OFICINAS DE PESQUISA PARA GRADUAÇÃO
CARGA HORÁRIA: 4h

01

OFICINA DE PESQUISA EM NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: ÉTICA HACKER E CULTURA MAKER

Ementa: As pesquisas em educação e tecnologias precisam ir além do uso de aplicativos e equipamentos em sala de aula, a presente proposta engaja-se no desafio de que se aprenda a construí-los, programá-los, conservá-los, reciclá-los e reinventá-los no desenvolvimento de culturas e tecnologias compartilhadas principalmente como bens comuns, inspirando-se em iniciativas de licenciamento como a Creative Commons, em projetos de softwares e hardwares livres, e em padrões abertos; são as chamadas Ética Hacker e Cultura Maker. Apresentaremos algumas experiências em andamento e, sem querer apresentar um caminho único, convidamos mais pesquisadores e profissionais que tenham interesse em expandir os horizontes da inclusão digital escolar - no sentido de questionar a distribuição dos lugares de quem/como constrói, permite e usa – para que possamos torná-la mais cidadã.

Carga Horária: 4h

Público-alvo: Alunos de Graduação

Recursos: sala de computação, headset e webcam para cada participante.

Capacidade máxima: 30

Proponente:

Marcelo Pustilnik Almeida Vieira (UFSM)

02

OFICINA DE PESQUISA EM CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: APRENDENDO A APRECIAR A LITERATURA INFANTIL

Ementa: Esta oficina apontará dispositivos metodológicos para a apresentação e desenvolvimento de histórias com crianças, a partir de sugestões de atividades que estimulem a criatividade e a oralidade, com intuito de oferecer aos participantes as diversas formas de se trabalhar com esta arte milenar em suas práticas pedagógicas. Assim, objetiva-se propiciar contribuições teóricas e práticas no processo metodológico da contação de histórias, possibilitando uma ampliação do conhecimento acerca do trabalho com a literatura infantil e trabalhando as habilidades dos participantes no ato de contar histórias, de modo a valorizar os diversos conhecimentos e narrações acerca da contação de história e como decorrência o deleite e apreço pela leitura na formação dos (as) professores (as) participantes da oficina.

Carga Horária: 4h

Público-alvo: Alunos de Graduação

Capacidade máxima: 30

Proponentes:

Aparecida Carneiro Pires (UFCG)
Cintia Baião Barros Tavares (UFCG)
Kaliane Kelly Batista (UFCG)

03

OFICINA DE PESQUISA EM MÉTODOS E TÉCNICAS DE SELEÇÃO DE MATERIAIS PARA TRABALHOS CIENTÍFICOS PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO

Ementa:  Entende-se que conhecer é uma atividade especificamente humana, é o ato pelo qual o sujeito se coloca no mundo e, com ele, estabelece uma ligação. Na academia, esse conhecimento adquiri a característica de conhecimento científico, preciso, crítico, metódico, sistêmico e requer comprovação de suas hipóteses, cujo desenvolvimento se dá por procedimentos ordenados, transformando materialmente em artigos, projetos de pesquisa, Trabalhos de Conclusão de Cursos - TCCs, Dissertações e Teses. Não obstante, um dos entraves na construção desse material para a graduação, se dá pela ausência de técnicas de seleção de materiais para construção do arcabouço teórico desse trabalho. Em referência teórica encontra-se fundamento no enfoque dialético da realidade, tendo como categorias a relação simbiótica entre teoria e prática, que perfaz a produção concreta de trabalhos científicos na universidade.

Carga Horária: 4h

Recursos: Datashow, multimídia

Público-alvo: Alunos de Graduação

Capacidade máxima:  30

Proponentes:

Maryland Bessa Pereira Maia
Albano Oliveira Nunes
Artemizia Ribeiro Lima Costa
Débora Aldyane Barbosa Carvalho

04

OFICINA DE PESQUISA EM METODOLOGIAS AO ENSINO DE GEOGRAFIA: A EXPERIMENTOTECA DE SOLOS E O ESTUDO DA PEDOLOGIA

Ementa: A importância de metodologias diferenciadas no ensino de Geografia Física. A aplicação da Pedologia na Geografia. Fatores e processos de formação do solo. Horizontes do solo. Manejo do solo.

Carga Horária: 4h

Público-alvo: Alunos de Graduação

Capacidade máxima: 10

Proponentes:

Jacimária Fonseca de Medeiros (UERN)
Anny Catarina Nobre de Souza (UERN)
Diogenys da Silva Henriques
Sérgio Domiciano Gomes de Souza

05

OFICINA DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DISCENTE NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Ementa:Possibilitar aos professores dos anos iniciais do ensino fundamental reflexões acerca da avaliação da aprendizagem discente partindo de dinâmicas que contemplem a elaboração/sistematização de dados sobre o processo de alfabetização infantil.

Carga Horária: 4h

Público-alvo: Alunos de Graduação

Capacidade máxima:25

Proponentes:

Maria da Conceição Costa
Luana Karolinne Martins de Araújo
Mônica Alynne de Souza Bernardo
Isabel Haialy Pereira da Silva
Bruna Lauana Carvalho Feitosa
Maria Eliza Rocha Silva

06

OFICINA DE PESQUISA EM HISTÓRIAS DE VIDA E ARGUMENTAÇÃO

Ementa:O papel da pesquisa no ensino. A pesquisa como constitutiva do ensino-aprendizagem. Orientações para elaboração do projeto de pesquisa. A pesquisa com histórias de vida. A interface entre histórias de vida e argumentação. Aspectos éticos na pesquisa em histórias de vida. Vez e voz dos excluídos: o protagonismo concedido aos que fizeram parte da história mas não são lembrados pelas histórias oficiais. Elaboração de partes dos projetos individuais de pesquisa como produtos da Oficina.

Carga Horária: 4h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima:30

Proponentes:

Magna Eugênia Fernandes do Rêgo (Mestranda do PPGL/UERN)
Maria de Oliveira (Doutoranda do PPGL/UERN)
Gilton Sampaio de Souza (UERN)

07

OFICINA DE PESQUISA EM CULTURA LOCAL E INCLUSÃO

Ementa:O papel da pesquisa na formação do aluno de graduação. O que é e como se faz um projeto de pesquisa. Problematização da pesquisa. Orientações sobre como fazer um projeto de pesquisa articulando aspectos da cultura local e priorizando temáticas ligadas à inclusão. Elaboração de pré-projeto de pesquisa a ser aplicado em contextos de formação acadêmica e/ou escolar.

Carga Horária: 4h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima:30

Proponentes:

Prof. Dr. Ananias Agostinho da Silva (Professor da UFERSA; Pós-doutorando no PPGL/UERN)
Prof. Dr. Gilton Sampaio de Souza (UERN)

08

OFICINA DE PESQUISA EM EM ARGUMENTAÇÃO

Ementa:O papel da pesquisa na formação do aluno de graduação. O que é e como se faz um projeto de pesquisa. Problematização da pesquisa. Orientações sobre como fazer um projeto de pesquisa articulando conceitos advindos de diferentes teorias de Argumentação. Elaboração de pré-projeto de pesquisa a ser aplicado em contextos de formação acadêmica e/ou escolar.

Carga Horária: 4h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima:30

Proponentes:

Prof. Me. Sueilton Junior Braz de Lima (UNP/UERN)
Profa. Dra. Clécida Maria Bezerra Bessa (UFERSA)

09

OFICINA DE PESQUISA SOBRE ESTRATÉGIAS DE LEITURA E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO PROGRAMA BIBLIOTECA AMBULANTE E LITERATURA NAS ESCOLAS (BALE)

Ementa:Pesquisas sobre o BALE. Estratégias de leitura e contação de histórias. Motivação para ser um contador de história. Repertório de leitura. Construção de pré-projetos de pesquisas (grupos) sobre leitura pelos participantes.

Carga Horária: 4h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 30

Proponentes:

Maria Eridan da Silva Santos
Renata Paiva de Freitas
Maria Lúcia Pessoa Sampaio
Sandra Sinara Bezerra
Kaiza Maria de Alencar Oliveira

10

OFICINA DE PESQUISA EM QUILOMBOLAS E OUTRAS COMUNIDADES TRADICIONAIS

Ementa:O papel da pesquisa na formação do aluno e do professor. O que é e como se faz um projeto de pesquisa. Problematização da pesquisa. Orientações sobre como fazer um projeto de pesquisa que priorize as temáticas da memória de comunidade Quilombolas e outras comunicações tradicionais e sobre como levar essa temática à sala de aula. Elaboração de pré-projeto de pesquisa a ser aplicado em contextos de formação acadêmica e/ou escolar.

Carga Horária: 4h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 30

Proponentes:

PProf. Ma. Marília Cavalcanti de Freitas (UERN)
Prof. Esp. Carlos Alves Vieira (SEEC/PB; PROFLETRAS/UERN)
Prof. Dr. Gilton Sampaio de Souza (UERN)

OFICINAS DE PESQUISA NA GRADUAÇÃO
CARGA HORÁRIA: 8h

1

OFICINA DE PESQUISA COM TRABALHADORES E POPULAÇÕES TRADICIONAIS

Ementa:Pretendemos apresentar e discutir possibilidades metodológicas para elaboração de projetos de pesquisa de iniciação científica, sua estrutura inicial, seus objetivos, metodologia e instrumentos utilizados, visando aproximar os alunos de graduação participantes do evento, da dinâmica real de uma pesquisa em andamento. A oficina em foco analisa os processos de formação do pesquisador no trabalho real e, no interior deste, a ocorrência, devido à complexidade envolvida nas situações de trabalho humano, dos comportamentos postos em circulação (tais como, adaptação, criação, repetição, (im)previsibilidade, (des)obediência) nas situações concretas de trabalho. O ambiente pesquisado é aquele da classe trabalhadora, com atenção para processos de resistência e adaptação frente às imposições do capital, de forma ampla, inclusive as chamadas populações tradicionais (indígenas, ribeirinhos, pescadores e agricultores), de forma específica, no contexto dos conflitos envolvendo a UHE Belo Monte, no Sudoeste do Pará. A formação do pesquisador e sua inserção em universos culturais diferenciados. Respeito aos Direitos Sociais, Trabalhistas, Ambientais e a autonomia das populações tradicionais.

Carga Horária:8h

Público-alvo:Alunos da Graduação

Capacidade máxima: 30

Proponentes:

Ivana de Oliveira Gomes e Silva (UFPA)
Ana Lúcia Almeida de Oliveira (UFPA)

2

OFICINA DE PESQUISA SOBRE ELEMENTOS PARA A PESQUISA BIBLIOGRÁFICA E EMPIRICA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO SOBRE FORMAÇÃO HUMANA E EDUCAÇÃO NA TEORIA CRÍTICA

Ementa:A produção do conhecimento, na academia, é um processo tão necessário quanto exigente. Necessário porque a academia precisa cumprir um de seus papéis fundamentais: produção; exigente porque requer cuidados, rigor e profundidade, diferente do conhecimento trivial que coloca a todos em contato com os afazeres e objetos do quotidiano. Em primeiro lugar se requer que o estudioso crie seu objeto. Um objeto de pesquisa, na Universidade, nunca é apenas, nem tudo o que se mostra na natureza. O objeto é sempre muito grande: precisa-se delimitar; e é insuficiente, ou seja, seus significados têm sempre a ver com os demais objetos com os quais mantém relações. O conhecimento sempre se produz sob duas bases, indissociáveis, sine qua non: sujeito e objeto. Nesta pesquisa o objeto é a formação humana, sob os aportes da Teoria Crítica da Sociedade (representada pela Escola de Frankfurt), aqui se investiga, especialmente, o pensamento de Adorno e Horkheimer. Para os autores o sujeito precisa ser recolocado, aparecer como alguém que tem importância nesta produção, mas, na relação com o objeto: é preciso dar precedência ao objeto. A formação humana tem a ver com a individuação, contrário de individualismo; tem a ver com experiências intelectuais que valorizem a realidade, conduzindo a uma práxis transformadora; precisa dotar as pessoas de uma forma correta de se relacionar com a natureza, com a realidade, não dominar mas, reconhecer seu valor, na medida em que é natureza, realidade com fins humanos.

Carga Horária:8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 30

Proponentes:

Paulo Lucas da Silva (UFPA)
Jakson José Gomes de Oliveira (SEDUC/PA)

3

OFICINA DE PESQUISA EM OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM (OVA) NA SALA DE AULA DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Ementa:Introdução a tecnologia educativa com destaque para o uso de Objetos Virtuais de Aprendizagem (OVA) do tipo SWF voltados para o ensino de Espanhol e Inglês como línguas estrangeiras. Nesta oficina, demonstraremos como utilizar opções avançadas de motores de busca para encontrar e baixar. Objetos Virtuais para uso online e offline.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 35

Proponentes:

Francisco Lindenilson Lopes (DLE/CAMEAM/UERN)

 Francisco Roberto da Silva Santos (DLE/CAMEAM/UERN)

4

OFICINA DE PEQUISA EM ENSINO E APRENDIZAGEM EM CONTEXTO MULTILÍNGUE

Ementa:Esta oficina tem por objetivo possibilitar aos participantes o contato com pesquisas desenvolvidas em sala de aula, bem como a reflexão a respeito das contribuições que estas pesquisas oferecem para as práticas pedagógicas. Nossa proposta, portanto, visa mostrar que a investigação não se caracteriza como uma prática de pesquisadores acadêmicos vinculados exclusivamente à universidade. Com base no trabalho de professores-pesquisadores, pretendemos promover uma discussão a respeito das possibilidades de pesquisa na escola, a fim de compreender e analisar que direções um pesquisador pode seguir frente aos desafios e imprevistos em um percurso de pesquisa. Para tanto, discutiremos as metodologias de trabalho que podem contribuir para a elaboração e desenvolvimento de uma investigação em sala de aula, sem perder de vista a formação do professor-pesquisador e as respectivas contribuições de sua pesquisa para as práticas pedagógicas.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 30

Proponentes:

aldir Heitor Barzotto (FEUSP)
Maristela Silva de Freitas (Doutoranda - FEUSP)
Selma Regina Olla Paes de Almeida (Graduada - FEUSP)
Sheila Perina de Souza (Mestranda - FEUSP)

5

OFICINA DE PESQUISA SOBRE O EMPREGO DO GEOGEBRA COMO FERRAMENTA PARA O ESTUDO DE PA E PG

Ementa:A presente oficina de pesquisa busca discutir sobre as potencialidades da ferramenta tecnológica GeoGebra para o ensino de matemática, a partir da apresentação de uma sequência de atividades para o estudo das Progressões Aritméticas (PA) e Progressões Geométricas (PG). O objetivo geral dessa oficina é apresentar as possibilidades para a utilização do Software e aplicativo Geogebra como ferramenta para o estudo e resolução de problemas relacionados as PA e PG, a partir da realização de atividades práticas. Nessa perspectiva, serão realizadas discussões sobre as etapas para a resolução de um problema mediante articulação com o GeoGebra, de modo a analisar as contribuições do software e aplicativo para dispositivo móvel. O desenvolvimento da oficina acontecerá em dois momentos, onde no primeiro momento será realizada uma exposição das ferramentas do GeoGebra e suas respectivas funcionalidades. No segundo momento, será realizada atividades práticas direcionadas para a utilização da ferramenta tecnológica para o estudo da PA e PG, a partir da resolução de problemas propostos. Com a realização dessa oficina espera-se que os participantes possam constatar as potencialidades do GeoGebra para o estudo da matemática, e também para a sua aplicação em outras áreas do conhecimento.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponentes:

Glaydson Francisco Barros de Oliveira (UFERSA)
Leocides Gomes da Silva (UFERSA)

6

OFICINA DE PESQUISA EM PRÁTICAS PSICOMOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL

Ementa:Estudo e vivência de práticas corporais nas suas diferentes manifestações e dimensões. Dinâmicas de jogos e atividades lúdicas, visando o crescimento, desenvolvimento e aprendizagem da criança, atividades prática psicomotoras, pedagógicas e educativa no Ensino Fundamental. OBJETIVO: conhecer e compreender com maior profundidade a importância das práticas psicomotoras no Ensino Fundamental. PROVÁVEIS PRODUTOS: Elaboração de Pré- Projeto de Pesquisa acerca da temática da Oficina.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponentes:

Kátia Macedo Duarte
Luciene Nascimento Silva de Moura

7

OFICINA DE PESQUISA SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS ESPAÇOS FÍSICOS ESCOLARES PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Ementa:A escola como espaço de pesquisa. O contexto escolar e sua relação com o ensino e a pesquisa. Os ambientes existentes na escola e sua importância investigativa. Os espaços físicos escolares como possibilidade para o trabalho com a geografia e as ciências humanas. Contribuição dos espaços da escola para a construção e o estímulo as aprendizagens. A importância da pesquisa em geografia e em ciências humanas nos espaços da escola. Como elaborar projetos de pesquisa com ênfase na utilização dos espaços físicos escolares e suas contribuições para o ensino de geografia e ciências humanas.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponentes:

Miqueias Virginio da Silva (UERN)
Larissa Silva Queiroz (UERN)

8

OFICINA DE PESQUISA EM ABORDAGENS DIDÁTICAS PARA O USO DE CIRCUITOS ELETRÔNICOS COM ARDUINO EM CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS

Ementa:O uso de equipamentos eletrônicos e métodos de automação em aulas experimentais passa a ser uma realidade no ensino. A oficina tem como foco estimular o desenvolvimento de equipamentos laboratoriais com a placa open-source arduino de prototipagem com o microcontrolador ATmega328. Dentre as principais abordagens, aplicar-se-á circuitos para o lançamento de foguetes de garrafa PET, a obtenção de dados de posição angular e velocidade angular com um encoder e com um detector de interferência com laser e LDR (Light Dependent Resistor). Além disso, será realizada a interação com a linguagem de programação C++ para enviar comandos e adquirir dados da placa de acordo com o a interação que ela realizará com os periféricos. Por fim, serão realizadas as esquematizações dos circuitos com o software Fritzing e a validação experimental dos circuitos. Desse modo, os participantes terão total domínio na elaboração de projetos com arduino e poderão implementá-los em diversas atividades experimentais.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 12

Proponentes:

Prof. Dr. Glaydson Francisco Barros de Oliveira (UFERSA)
  Sara Guimaraes Negreiros (UFERSA)

9

OFICINA DE PESQUISA SOBRE O USO DE MATERIAIS ALTERNATIVOS PARA O ENSINO DE QUÍMICA

Ementa:As dificuldades encontrada pelos docentes das disciplinas de ciências naturais, nas redes ensino, para a realização de aulas experimentais se tornam visíveis pela falta de infraestrutura das escolas. Sendo assim, nota-se que a falta, em sua maioria, de laboratórios ou materiais laboratoriais para apresentar conteúdos norteados por experimentos. Pensando nisso, foi elaborado uma oficina que tem como objetivo, apresentar o uso de matérias alternativos nas aulas de disciplinas cientificas, como proposta pedagógica, podendo amenizar a falta da estrutura adequada. Além disso, proporciona aos docentes meios pelo qual o mesmo pode construir conhecimento com a perspectiva de viabilizar uma aproximação dos alunos com a ciência e suas plataformas práticas, diante de matérias visto no seu dia a dia. A oficina se fará baseada no estudo de autores e seus trabalhos de pesquisa sobre o uso de materiais alternativos, em aulas de química, por exemplo, e quais as suas contribuições pedagógicas. O resultado se dará através da demonstração da química experimental, no qual o conteúdo será formado por materiais facilmente encontrados no dia a dia dos alunos. Na dificuldade dos recursos para laboratório, as vidrarias serão trocados por materiais de fácil manuseio e utilizado no cotidiano dos alunos.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponentes:

David Kellson Coelho Moura (IFRN)
Fernanda Ingridy Paiva Cavalcante (IFRN)

10

OFICINA DE PESQUISA EM SISTEMA BRAILLE: LEITURA E ESCRITA TÁTIL NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA CRIANÇA CEGA

Ementa:Esta oficina tem como objetivo proporcionar, aos graduandos, reflexões sobre o processo de aprendizagem da criança cega, o ensino e aprendizagem de técnicas de leitura e escrita no ensino braille. Dentre os conteúdos, abordaremos um breve histórico da educação das pessoas com deficiência visual (cegueira e baixa visão); O uso dos sentidos remanescentes na aprendizagem das crianças cegas; Sistema Braille: significado e importância; o acesso à leitura por meio do tato; técnicas de leitura e escrita no Sistema Braille da Grafia Braille para a Língua Portuguesa; metodologias de ensino; a formação continuada de professores no processo de inclusão; as novas tecnologias a serviço do braille; a desbraillização e sua relação com o desenvolvimento e aprendizagem da leitura e escrita da criança cega; metodologias de ensino do sistema braille; recursos didáticos específicos e acessíveis no ensino do Sistema Braille. No primeiro momento da oficina, serão apresentados vídeos, o aporte teórico que contempla os conteúdos abordados, bem como os recursos didáticos necessários à aprendizagem do Braille, por meio do uso da apresentação de banners com a simbologia braille; de celas braille em diversos tamanhos e texturas; acervos em braille (Jogo da memória, Sílabas em braille, Loto de Leitura e outros recursos disponíveis em braille); Uso do kit básico (reglete, prancheta e punção), máquina de datilografia em braille; kit multimídia para apresentação de slides, vídeos. Outros. No segundo momento, serão realizados exercícios de leitura e escrita em braille, a proposta e elaboração do projeto de pesquisa na temática desenvolvida.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponente:

Eliane Maria Dias

11

OFICINA DE PESQUISA EM METODOLOGIA DA HISTÓRIA ORAL

Ementa:Gêneros da História Oral; principais procedimentos da História Oral; entrevista como diálogo; histórias de vida de professores como fontes de pesquisa sobre a docência. Principais procedimentos da História Oral: considerações sobre elaboração de um projeto usando a metodologia, seleção dos entrevistados, autorização de cessão de direitos, gravação e transcrição das entrevistas, armazenamento, análise, publicação, devolução ao grupo pesquisado etc. gêneros da História Oral: História de Vida, História Oral Temática e Tradição Oral; entrevista como um diálogo; narrativas de professores como fontes de pesquisa sobre a docência.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 25

Proponente:

Bruna da Silva Cardoso (UFT)

12

OFICINA DE PESQUISA EM LITERATURA NO ENSINO MÉDIO: A LEITURA A SERVIÇO DA CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS

Ementa:Escolarização da literatura e o papel da literatura na formação do leitor, com base em Zilberman (2009). Impasses e desafios no trabalho com a literatura, por Martins (2006). Letramento literário, por Cosson (2018). Concepções de linguagem e tipos de ensino de Língua Portuguesa, com base em Perfeito (2005) e Sá (2015). Orientações legais para o ensino de literatura no ensino médio: Parâmetros Curriculares Nacionais (1998); Parâmetros Curriculares Nacionais+ (2002); Orientações Curriculares Nacionais (2006). Proposição para o ensino da literatura no ensino médio na primeira versão da Base Nacional Curricular Comum (2015). Indicações da segunda versão da Base Nacional Comum Curricular para o ensino de literatura nas três etapas do ensino médio (2016). Da teoria à prática: alinhamento entre as contribuições teóricas, orientações legais e a proposição da Base Nacional Curricular Comum (BNCC) para o ensino de literatura no ensino médio, produzida por Sá e Bezerra (2018).

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 25

Proponentes:

Cícera Alves Agostinho de Sá (PPGL/UERN/SEDUC CE)
Jaqueline de Jesus Bezerra (PPGL/UERN/SEDUC CE)

13

OFICINA DE PESQUISA EM HISTÓRIA DO BRASIL COLÔNIA: REALIZANDO PESQUISA DOCUMENTAL

Ementa:Introdução: análise das especificidades da pesquisa documental colonial e as especificidades exigidas neste tipo de pesquisa; o ‘Diretório Pombalino’ como exemplo de elaboração de problema de pesquisa; o documento paleográfico e o pesquisador em tempo distinto; como escolher o aporte teórico de um trabalho de pesquisa documental. Objetivo: apresentar a pesquisa colonial Brasileira historiográfica voltada para a pedagogia, suas especificidades e técnicas.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 50

Proponente:

José Eloi Nascimento dos Santos (UFPE/CAA)

14

OFICINA DE PESQUISA EM CRIATIVIDADE E SUBJETIVIDADE NOS CONTEXTOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES

Ementa:Discussão acerca da pesquisa que aborda a Criatividade como expressão da Subjetividade em suas dimensões social e individual, tendo como locus os contextos escolares e não escolares. Estudo sobre a Epistemologia Qualitativa como abordagem teórica e metodológica elaborada para a pesquisa que envolve essas temáticas. Será embasada nas proposições teóricas de Mitjáns Martínez e González Rey.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 25

Proponentes:

Francileide Batista de Almeida Vieira (UFRN)
Keutre Glaudia da Conceição Soares Bezerra (UERN)
Francisca Marciana Pereira da Silva (UERN)

15

OFICINA DE PESQUISA EM TEORIA DA ARGUMENTAÇÃO NO DISCURSO E LINGUISTICA TEXTUAL: POSSIBILIDADE DE INTERFACE

Ementa:A presente oficina trata do processo de produção textual na Educação Básica, com foco na dissertação-argumentativa do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), com base em categorias da Teoria da Argumentação no Discurso (TAD) e da Linguística Textual (LT). Objetiva-se com esta oficina analisar categorias da TAD e LT em redações do ENEM com foco nas competências 3 e 4. Objetiva-se ainda, discutir os processos argumentativos presentes no processo de produção da redação do ENEM. Por fim, objetiva-se verificar elementos coesivos adotados na construção da argumentação. O aporte teórico adotado advêm de Perelman & Olbrechts – Tyteca (2014), Koch (2015). Espera-se que os participantes da oficina de pesquisa compreendam a pertinência da sistematização do trabalho com a TAD e a LT, compreendendo a conexão entre teoria e prática no que diz respeito ao desenvolvimento das competências exigidas no ENEM.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponentes:

Maria do Socorro Cordeiro de Sousa (FACHUSC)
Cícera Alves Agostinho de Sá (URCA)

16

OFICINA DE PESQUISA EM DESENVOLVIMENTO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS COLABORATIVAS E MULTIMIDIÁTICAS COM O GOOGLE DRIVE

Ementa:Diante da necessidade de integrar o uso das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDICs) ao currículo escolar e propor novas ferramentas pedagógicas para auxiliar o professor em sala de aula, essa oficina tem como objetivo demonstrar o uso das ferramentas do Google Drive e exemplificar práticas pedagógicas que podem ser desenvolvidas, visando dar suporte pedagógico aos professores sobre como utilizar esses recursos alinhados a práticas colaborativas em prol da aprendizagem dos alunos. Buscando desenvolver práticas e projetos inovadores em Educação.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 25

Proponentes:

Rodolfo Araújo de Carvalho
Dennys Leite Maia
Amanda Maria Domingos de Oliveira

17

OFICINA DE PESQUISA SOBRE OS CAMINHOS DO SOM: NOÇÕES DE ACÚSTICA PARA SALA DE AULA

Ementa:Ruídos constantes, conversas e sons intrusivos do corredor são queixas constantes que impactam a qualidade do aprendizado na sala de aula, geram distrações e interferem até na saúde de discentes e docentes. A reverberação excessiva gera falta de inteligibilidade do som, exigindo do aluno um grande esforço para compreender o que o professor fala e dificultando a assimilação do conteúdo. Pesquisas mostram que, do conhecimento transmitido, perde-se até 50% do que deveria ser absorvido pelo aluno. Contudo, esses problemas são tão naturalizados que todos enxergam quase como "ossos do ofício". Assim, essa oficina visa ensinar de forma bem prática e didática sobre porque isso acontece numa caminhada pelas salas de aula do CAMEAM. A ideia é trazer de forma lúdica conceitos como som, frequência e reverberação, ressaltar a importância do tipo de material usado no ambiente e sua influência na qualidade sonora, além de realizar um experimento que te fará enxergar sua própria voz. Portanto, destaca-se aqui a importância de se trazer noções de acústica para o ambiente que mais sofre com seu desconhecimento e que menos aproveita suas potencialidades: a sala de aula. O fruto das discussões e práticas da oficina pretende alcançar como produto possíveis estudos e pré-projetos de pesquisa que visem compreender ou propor intervenções acerca desse tema no dia-a-dia da sala de aula. Não é exigido conhecimento prévio a respeito do tema para participar da oficina, parte do objetivo é exatamente apresentá-lo a quem nunca teve contato com essa área do conhecimento.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 20

Proponentes:

Ana Ligia Pessoa Sampaio (UFRN)
Clawsio Rogerio Cruz de Sousa (UFERSA)

18

OFICINA DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E PESQUISA: UMA MEDIAÇÃO PELA PESQUISA-AÇÃO

Ementa:Possibilidades de pesquisas com intervenções pedagógicas na Educação Física Escolar; Pesquisa-ação e suas peculiaridades no campo educacional, conceitos e breve histórico; Materialização do diálogo: pesquisa-ação e Educação Física escolar; O que as produções acadêmicas tematizam do ponto de vista das experiência e pesquisas neste campo de interlocução.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 25

Proponentes:

Dandara Queiroga de Oliveira Sousa(UERN)
Francisco Maxsuel Ferreira Araujo

19

OFICINA DE PESQUISA ELABORANDO ARTIGOS CIENTÍFICOS NA GRADUAÇÃO COM EFICIÊNCIA

Ementa:Produção e divulgação do conhecimento científico. O Pesquisador e a Comunicação Científica. Tópicos do artigo. Normas da ABNT. Escrita científica adequada. Socialização dos trabalhos científicos.

Carga Horária: 8h

Público-alvo:Alunos de graduação

Capacidade máxima: 25

Proponente:

Sonia Azevedo de Medeiros

Faça parte do grande Fórum Internacional de Pedagogia da atualidade!